Hot Flowers
side-area-logo

SEXO EN CONSEJOS

Consiga todas sus dudas acerca de su sexualidad
Consejos sobre sexo
É importante determinar a carga adequada para cada mulher de acordo com o estado muscular dela. 

1- O acessório estará muito leve se a mulher, ao ficar em pé, não sentir peso nenhum, ou então se o acessório ficar parado na vagina mesmo que ela não esteja contraindo-a, apertando-a.
Outro modo de perceber que o acessório está leve é se você consegue segurá-lo contraindo a vagina por mais de 10 segundos sem cair ou deslocar-se. Isto indica que você deve substituí-lo por um mais pesado.
Sempre aumentar o peso para o mais próximo, progressivamente.  
 
2- O acessório estará muito pesado quando a mulher não consegue segurá-lo na vagina por mais de 3 segundos ou ele se desloca no canal vaginal, deste modo é necessário a substituição do acessório para um mais leve, substituído pelo anterior no peso. Lembrando, o teste é realizado em pé.
 
No caso das bolinhas Bendell você irá iniciar com a bolinha amarela (30 gramas), evoluir para a laranja (50 gramas) e finalizar com as duas juntas com camisinha (80 gramas).
 
Com as bolinhas de Pompoar não há escolha de pesos, mas recomenda-se usar o kit com 2 bolinhas.
 
Com os cones de Pompoar ou Dell você deve iniciar o teste com o menor peso e evoluir progressivamente até atingir o peso máximo.
Se a sua opção foi iniciar com os cones de Pompoar (de 20 a 60 gramas) e após chegar no peso máximo de 60 gramas quer progredir, recomendamos que você progrida com o aumento dos pesos com os cones Dell (de 40 a 120 gramas). Inicie com o cone Dell de 80 gramas e evolua até atingir o de 120 gramas.

EXERCÍCIOS COM CONES E BOLINHAS

Exercício 1 -  a mulher deve introduzir o acessório entre uns 3 a 4 cm de profundidade no canal vaginal, vestir a calcinha e realizar suas atividades diárias normalmente com o acessório, ou se preferir ficar deitada, sentada ou em pé, inicialmente.
 
Tempo para este exercício:
O tempo inicial de uso é de 3 minutos e deve aumentar progressivamente até no máximo 15 minutos com o acessório no canal vaginal. Aumente cerca de 1 a 2 minutos no tempo para cada 3 dias de realização do exercício em média, isso se você não sentiu desconforto após o uso em 24 horas.

Procure descansar 1 dia sem uso de acessório;
 
Exercício 2 – realize este exercício inicialmente na postura deitada, depois passe para sentada ou de cócoras, e posteriormente em pé.
 
Após escolher o acessório e inseri-lo com uns 3 a 4 cm de profundidade no canal vaginal a mulher deve posicionar-se deitada com joelhos flexionados (inicialmente) e contrair e relaxar a vagina.
 
Como fazer: contrai e relaxa os músculos vaginais (a região anal contrai junto) repetindo 10 vezes.
 
Após dominar este exercício você pode progredir aumentando para duas séries de 10 repetições, deste modo:
Contrai e relaxa a vagina devagar com o cone ou bolinha no canal vaginal até completar 10 vezes.
Após descanse 1 minuto e realize nova série de 10 repetições as contrações/relaxamentos, totalizando duas séries de 10 repetições = 20 vezes.
 
Após dominar as 2 séries de 10 repetições e não houver deslocamento ou queda do acessório, você pode aumentar para 3 séries de 10 repetições, totalizando 30 repetições, realizadas 1 vez ao dia.
 
Você irá evoluir o exercício com mudança de postura como recomendado, após realize as contrações sentada, agachada e em pé, progressivamente.
Caso há deslocamento ou queda do acessório pare imediatamente o exercício, e recomece em outro dia com o mesmo peso e tempo até ele permanecer no local.
Após realizar o exercício número 1 com domínio e sem deslocamento ou queda do acessório com 2 séries de 10 repetições, evolua acrescentando o próximo exercício.
  
Exercício 3 -

Realize este exercício inicialmente na postura deitada, depois passe para sentada ou de cócoras, e posteriormente em pé.
 
Como fazer: deitada com joelhos flexionados contraia somente a vagina com o acessório e segure até 3 segundos, solte e descanse por 3 segundos, e assim sucessivamente até completar 10 repetições das contrações/relaxamentos.
 
Após dominar este exercício você pode progredir aumentando para duas séries de 10 repetições, deste modo:
Contrai a vagina e segura por 3 segundos, solta e relaxa por 3 segundos, e reinicia até completar 10 vezes.
Após as 10 repetições descanse 1 minuto e realize nova série de 10 vezes as contrações/relaxamentos, totalizando duas séries de 10 repetições = 20 vezes.
 
Após o domínio e não houver deslocamento ou queda do acessório, você pode aumentar para 3 séries de 10 repetições, totalizando 30 vezes, realizadas 1 vez ao dia.
 
Após realizar 3 séries de 10 repetições você  pode evoluir o exercício com mudança de postura. Com a nova postura volte a fase inicial de 10 repetições, aumente progressivamente com 20 e 30 repetições ao dia.
Caso há deslocamento ou queda do acessório pare imediatamente o exercício, e recomece em outro dia continuando com o mesmo peso até ele permanecer no local sem deslocamento por dois dias de uso com os exercícios.

Importante para evoluir neste exercício com o mesmo acessório:

1- Quando sentir que domina o exercício da postura em pé e não houver deslocamento do acessório, aumente o tempo de contração de 5 segundos e descanse também 5 segundos.
Deste modo: contrai e segura por 5 segundos, solta de relaxa por 5 segundos e reinicia até completar 10 contrações. Evolua para 2 séries de 10 repetições e após o domínio aumente para 3 séries de 10 repetições, totalizando 30 repetições, realizadas 1 vez ao dia.
 
2- Evolua aumentando o tempo de contração e repouso. De 5 segundos aumente para 7 segundos de contrações/relaxamentos e posteriormente até o tempo máximo de 10 segundos de contrações/relaxamentos. Evolua como explicado anteriormente
 
3- Sempre o tempo de contração será o mesmo tempo de repouso, e o tempo de descanso entre cada série será de 1 minuto.
Caso o acessório se desloca ou caia pare imediatamente o exercício, e recomece em outro dia com o mesmo peso até ele permanecer no local pelo tempo máximo de 10 segundos de contração vaginal com 3 séries de 10 repetições.
Com a evolução no tratamento e na melhora de suas queixas você poderá escolher os exercícios de sua preferência para realizá-los uma vez na semana. Assim manterá saudáveis seus músculos íntimos e estará satisfeita em sua vida sexual.

ALGUNS CASOS QUE SÃO CONTRAINDICADOS O USO DE CONES E BOLINHAS
 
1- Mulheres que sentem dor na relação sexual ou no local;
2- Prolapsos genitais (ex. bexiga caída);
3- Período menstrual;
4-Mulheres com dificuldade em contrair os músculos íntimos. Nestes casos recomenda-se a prática dos exercícios de 1 a 5 até obter domínio e realizar somente o exercício número 10 com acessório de peso;
5- Uso de diafragmas, pessários e tampões.
 
Os acessórios em geral são contraindicados quando há inflamações e infecções locais.    
Recomendamos conversar com seu médico caso tenha dúvidas quanto alguma situação física local, e antes do uso nos casos de gravidez, diafragmas, pessários e tampões.

Algumas mulheres sentem seus músculos vaginais enfraquecidos e flácidos com dificuldade em sentir o pênis ou objeto no seu canal vaginal. Deste modo dificulta o prazer e o orgasmo, como consequência pode ocorrer a diminuição do desejo e da lubrificação.
São vários os motivos que podem causar a flacidez vaginal, como a hereditariedade, envelhecimento, raça branca, partos, alterações hormonais, prisão de ventre, tabagismo, alcoolismo, cirurgias, obesidade, atividade física de impacto, radioterapia, atividades sexuais inadequadas, outros.

Saúde íntima
Para manter os músculos perineais saudáveis e prevenir lesões nos músculos íntimos as mulheres devem ter estes com tônus normal, adequada circulação, sensibilidade, força e elasticidade. Músculos saudáveis terão maior resistência contra os fatores que podem ocasionar lesões que ocorrem durante a vida (citados acima), ou se houver lesão os mesmos terão melhor recuperação.

Sintomas da flacidez vaginal
Existem alguns sintomas que podem ajudar a mulher a identificar que sua musculatura íntima apresenta flacidez, mas a confirmação ocorre somente com uma consulta com o Fisioterapeuta especialista em Uroginecologia, o profissional que atende na área pélvica.
Alguns sintomas são: incontinência urinária e fecal (perdas involuntárias), quedas de órgãos pélvicos (exemplo é bexiga baixa), dificuldade em sentir estímulos e fricções no canal vaginal, dúvidas se o pênis está dentro da vagina, gases vaginais, alteração na lubrificação, dificuldade em sentir prazer e orgasmo durante os estímulos no canal vaginal e clitóris.

Como melhorar
Se o sexo não está adequado deve-se realizar mudanças positivas para melhorar a sexualidade individual e do casal. Todas as pessoas podem sentir orgasmo durante todo o processo de envelhecimento, não há limitações!
Primeiramente procure um médico Ginecologista e este irá avaliar suas queixas e identificar as causas.
Se for diagnosticado comprometimento muscular procure um Fisioterapeuta com Especialização na área Pélvica. Ele irá realizar tratamento no consultório (quando necessário) e orientar exercícios e atividades para você realizar em sua casa.

Alguns produtos da Hot Flowers que contribuem na flacidez vaginal 
Alguns produtos contribuem na flacidez vaginal, são eles:
1- Peridell – massageador terapêutico que estimula a circulação e inervação local, com melhora da força muscular, sensibilidade, lubrificação, prazer e orgasmo;
2- Cones DELL – são cones mais grossos e pesados para o fortalecimento muscular do assoalho pélvico. Apresentam os seguintes pesos: 40 gramas, 60 gramas, 80 gramas, 100 gramas e 120 gramas;
3- Cones de Pompoar – cones com pesos de 40 a 80 gramas;
4- Bolinhas Bedell – são duas bolinhas num kit com pesos de 30 gramas (amarela), 50 gramas (laranja) e 80 gramas (as duas juntas) que intensificam o fortalecimento muscular local;
5- Bolinhas de Ben Wa/Pompoarismo – bolinhas que melhoram os músculos vaginais;
6- Bomba clitoriana – melhoram a circulação e tecidos da região do clitóris;


Cuidar da saúde íntima favorece a autoestima, felicidade, prazer e orgasmo, proporciona satisfação na vida sexual.

Fabiane Dell` Antônio   -   Fisioterapeuta
Palestrante - Consultora da Empresa Hot Flowers
A homossexualidade é definida como a atração sexual, exclusiva ou preferencial, por pessoas do mesmo sexo. Assim como ocorre com os heterossexuais, homossexuais masculinos ou femininos estão sujeitos às alterações do ciclo da resposta sexual (desejo, excitação, orgasmo e resolução), resultando em disfunções sexuais.

Nas mulheres as principais queixas são o transtorno do interesse/excitação sexual feminino, transtorno do orgasmo e transtorno de dor genito-pélvica à penetração.

Há poucos estudos sobre as disfunções sexuais em homossexuais, mas observa-se uma prevalência alta, em torno de 50 a 80% de pelo menos uma queixa relacionada à função sexual. Em termos de práticas sexuais, mulheres homossexuais praticam mais masturbação, enquanto mulheres heterossexuais praticam mais sexo vaginal.

Em um estudo populacional (Burri; Rahman, Santilla et al, 2012), constatou que mulheres homossexuais têm mais queixas de insatisfação sexual e desejo sexual hipoativo do que mulheres heterossexuais. As queixas relacionadas à excitação, dificuldade de lubrificação, orgasmo e dor no ato sexual não apresentaram diferença significativa de prevalência entre hetero e homossexuais.

A respeito da frequência de atividades sexuais, a maioria dos estudos demonstra que os casais homossexuais femininos praticam menos sexo que casais heterossexuais e homossexuais masculinos. Entretanto, menor frequência não está necessariamente relacionada à maior insatisfação sexual, e pode ser explicada, segundo alguns autores, pela dificuldade do sexo feminino em tomar a iniciativa do ato sexual.

A dor genito-pélvica à penetração

A dor genito-pélvica é uma disfunção sexual que está presente quando a mulher sente dor com frequência durante a relação sexual, e pode ser classificada de acordo com o local que é sentida na região vaginal, como superficial, intermediária e profunda. Algumas mulheres sentem no início da penetração, durante ou após a mesma.

Como consequência da dor constante pode gerar diminuição da frequência sexual, afastamento íntimo entre o casal, tristeza, pensamentos de incapacidade de fazer o outro feliz sexualmente e a si próprio, e baixa autoestima.
Para algumas mulheres a dor na penetração vaginal quando se utiliza objetos, dedos, pênis ou vibradores pode ser percebida como dor aguda, ardência, e em queimação, com diferentes intensidades (leve, moderada e acentuada). Em alguns casos pode impossibilitar relações sexuais com penetração, o vaginismo.
As causas podem ser diversas, como físicas, emocionais, orgânicas, de relacionamento e outras. Algumas mais comuns são:

- Pouca lubrificação e excitação durante a penetração vaginal;
- Inflamação ou infecções genitais, como cistite;
- Endometriose;
- Tensões musculares no períneo (hipertonia);
- Fatores emocionais, como vergonha, medo, tabus educacionais, familiares e religiosos, traumas sexuais, e outros.

Mulheres em relações homosessexuais podem apresentar dificuldades nas práticas sexuais por não conseguir usar produtos que estimulam a relação íntima, como o uso das capas penianas extensoras, cintos de couro sem ou com prótese, vibradores, próteses de silicone ou gel, plugs e outros. 
Como consequência pode haver afastamento íntimo entre o casal e término do relacionamento.

Como melhorar a dor genito-pélvica?

Indica-se uma consulta com o médico Ginecologista para avaliações e exames físicos, e de acordo com os resultados podem contribuir para o tratamento o Fisioterapeuta Pélvico e Psicólogo.

A HotFLowers preocupa com a saúde íntima e sexual dos seus clientes, por isso lançou a linha A SAÚDE DO SEU PRAZER, são produtos desenvolvidos pela Fisioterapeuta Pélvica Fabiane Dell´ Antônio.

Alguns produtos contribuem na melhora dos músculos do assoalho pélvico e atuam na melhora da dor genito-pélvica, como:

1- Bolsa térmica Termodell;
2- Peridell e capa Facidell;
3- Dilatadores anais e vaginais DELL;
4- Massageadores Pélvicos D-Dell.

Os produtos acompanham instrução de uso, mas a Empresa HotFlowers e Fabiane Dell`Antônio disponibilizam em suas redes sociais vídeos e artigos com orientações de uso para contribuir na melhora destes sintomas.

Recomendamos que o tratamento físico tenha o acompanhamento e orientação de um profissional Fisioterapeuta Pélvico.

Fonte:https://www.researchgate.net/publication/281827499_Disfuncoes_sexuais_em_homossexuais (acesso agosto de 2018)


Fabiane Dell` Antônio
Fisioterapeuta, Palestrante e Consultora
* Mestrado em Ciências da Saúde Humana – UnC / SC
* Especialização em Neuropsicologia e Aprendizado – PUC / PR
* Especialização em Fisioterapia em Uroginecologia  – CBES / PR
* Especialização em Sexualidade Humana – USP / SP     
Tener vida sexual placentera es un deseo de muchas personas, así como sentir orgasmo con frecuencia en todas las prácticas sexuales, hacer sexo varias veces a la semana, tener autoestima y sexualidad sana, seducir su asociación, así sucesivamente.

Pero concretar estos deseos puede depender de varios factores, y uno de los principales es tener sexualidad sana. Esto ocurre solamente cuando la persona realiza prácticas sexuales a menudo con placer, satisfacción y felicidad. Al final, cualquier actividad que realizamos y sentimos placer activo en nuestro cerebro el área septal, responsable por los resultados placenteros que vivimos ante algo que nos hace felices.

Para tener sexualidad sana la persona necesita tener salud física íntima, esto refleja en tener los músculos del períneo sanos, con buena circulación, inervación, elasticidad, resistencia y fuerza local, estos proporcionan placer en todas las prácticas sexuales.

 

Algunas personas no pueden sentir placer, sino dolor.

Para algunas personas sentir orgasmo con frecuencia está muy lejos de su realidad. Estas no sienten placer, sino dolor o incomodidad durante o después de las penetraciones vaginal, anal, estímulos en el clítoris, región escrotal y ano.

El malestar con frecuencia puede generar una disminución de la frecuencia sexual, la separación íntima entre la pareja, la tristeza, los pensamientos de incapacidad para hacer el otro feliz sexualmente ya sí mismo, y bajo autoestima.

Las investigaciones reportan que en promedio el 20% de las mujeres sienten estas quejas con frecuencia en sus prácticas sexuales. El resultado son mujeres insatisfechas sexualmente, con bajo deseo sexual y con alejamiento íntimo entre la pareja.

En promedio el 5% de los hombres relatan esta queja en penetraciones anales, con dificultades para mantener la salud local y el placer, desarrolla hombres insatisfechos sexualmente, con bajo deseo sexual y aislamiento afectivo y sexual.

 

Tratamiento con los Dilatadores DELL de HotFLowers

Los dilatadores Dell están indicados para el tratamiento del dolor o molestias durante o después de las prácticas sexuales derivadas de alteraciones del tono muscular de la región del perineo, como la dificultad de penetración vaginal o anal en consecuencia de la tensión de los músculos locales.

Los dilatadores vaginales y anales DELL contribuyen en la mejora de los músculos del piso pélvico (región del perineo) porque promueven alteraciones en los músculos y tejidos locales, alargándolos y dilatando las paredes vaginales y anales.

Algunos de los efectos de los dilatadores para quienes presentan esta tensión (hipertonía) de los músculos íntimos:

1- Promover la desensibilización lenta y continua de la musculatura perineal;

2- Ocasionan la relajación y la flexibilidad muscular;

3- Dilatan el canal vaginal / anal y facilitan la penetración;

4- Disminuir el dolor y la incomodidad durante y después de la penetración vaginal o anal.

Se recomienda el uso de los dilatadores con lubricantes externos y el uso de condón. El producto acompaña manual de instrucciones para su uso.

HotFlowers produce los dilatadores Dell, estos fueron desarrollados por la fisioterapeuta Pélvica Fabiane Dell` Antônio que creó dos diferenciales en este producto, la curvatura anatómica y el pegador, ambos contribuyen a aumentar la eficiencia en su uso y la adecuada posición de la persona durante su aplicación.

 

Fabian Dell`Antonio - Fisioterapeuta, Consultora y Sexóloga
El deseo es la fase inicial de la respuesta sexual, esto ocurre cuando la mujer y el hombre reciben estímulos sexuales placenteros, ya partir de éstos ocurren impulsos provenientes de centros específicos del cerebro que promueven el inicio de la excitación - lubricación vaginal y erección.
Cuando la pareja suele practicar sexo con pocas preliminares ocurre inadecuada excitación, principalmente para la mujer que necesita de mayor tiempo de estímulos, y como consecuencia ella siente poco placer y mayores serán la oportunidad de no sentir orgasmo. Esto a largo plazo ocasiona consecuencias negativas en el deseo y en la vida sexual de la pareja.
La verdad es que habrá disminución del deseo sexual cuando la persona tiene sexo mal con frecuencia.

La importancia del deseo sexual para la sexualidad de la pareja
Mujeres y hombres necesitan ser bien estimulados sexualmente para sentir placer y satisfacción con la práctica sexual, de este modo favorecer el deseo.
La mujer presenta mayor dificultad en relación al hombre en cuanto a sentir deseo sexual, esto ocurre debido a que la educación familiar y religiosa son a menudo represores en relación al sexo y el papel de la mujer en éste, así como al inadecuado estímulo sexual que las personas reciben del adulto (a) y de sí mismo.

Otros factores interfieren en el deseo de la pareja, como el bajo envolvimiento emocional en el sexo y en la relación a dos, falta de intimidad y asociación entre ambos, enfermedades físicas, problemas emocionales, dificultades financieras, compromiso de los músculos del perineo, y otros.

El sexo es una actividad física que exige mucho de los músculos vaginales y pene, si están con buena elasticidad, circulación y fuerza tendrán salud y favorecer el placer. De lo contrario, las mujeres y los hombres tendrán problemas de salud local y en su sexualidad.
Actitudes para mejorar el deseo sexual

Algunas actitudes que la pareja puede realizar para mejorar el deseo sexual de uno o ambos, entre ellas se tienen:

1- Mantener el respeto y la asociación durante las actividades diarias, esto reflejará en el deseo e intimidad entre la pareja;
2- Dialogar con frecuencia sobre la vida sexual de cada uno y de la pareja;
3- Tener creatividad en los momentos de intimidad y preliminares, con sorpresas y productos sensuales;
4- Realizar con frecuencia los preliminares con estímulos placenteros para ambos, sin prisa para la penetración;
5- Conocer tu cuerpo y el otro, deseos y gustos durante el sexo;
6- Las mujeres y los hombres necesitan tener los músculos del perineo sanos, así que sentirán mayor placer y facilidad para el orgasmo.
Productos que contribuyen al deseo sexual
Todos los productos sensuales contribuyen al deseo de mujeres y hombres si se utilizan adecuadamente, estimulan la creatividad, la intimidad entre la pareja y la satisfacción durante las preliminares. Sigue algunos:
1- Lubricantes íntimos - deben ser usados ??en la entrada vaginal o anal en el momento de la penetración, evitan incomodidad;
2- Geis excitatorios - pasar por todo el clítoris, vagina, ano y pene con ligero masaje para promover sensaciones agradables y excitación;
3- Aceites de masaje - aceites afrodisíacos para masajear la región del periné, clítoris, punto G, pene, escroto y región anal;
4- Geis que se calienta - usar sobre el clítoris, pene y ano para el sexo oral;
5- Productos para la salud sexual - mejoran los músculos y las estructuras locales del periné (clítoris, vagina, pene y ano). Proporcionan autoconocimiento, intimidad entre la pareja, así como favorecen la excitación, la lubricación, el deseo y el orgasmo, con la mejora de la salud muscular y sexual para las mujeres y los hombres.
La pareja necesita cambiar sus prácticas y hábitos sexuales constantemente, cambiar de posiciones, ambientes y estímulos con productos sensuales.

HotFlowers tiene la línea terapéutica SALUD SEXUAL con varios productos que contribuirá a la salud y el placer de hombres y mujeres.

El estreñimiento, también conocido como estreñimiento intestinal es una dificultad persistente para evacuar, siendo más común en mujeres, ancianos, niños y mujeres embarazadas. Se diagnostica estreñimiento cuando la frecuencia de la evacuación es igual o menor que 2 veces a la semana y/o hay un gran esfuerzo para evacuar, poca salida y sensación de vaciado incompleto.

Algunas personas sienten el abdomen hinchado y dolorido durante sus actividades diarias e interfiere en el humor y la disposición física.

Principales causas

Las principales causas del estreñimiento son dieta pobre en fibras, el sedentarismo, poca ingestión de agua, no evacuar cuando hay voluntad, medicamentos, enfermedades neurológicas, estrés, depresión, ansiedad, tensión en los músculos del perineo (músculos del suelo pélvico), hemorroides, fisuras anales y otras disfunciones locales.

Muchas personas tienen dificultad para relajar sus músculos íntimos (región anal) durante la defecación, lo que ocasiona mayor esfuerzo para la salida de las heces y  la posible aparición de las hemorroides y cambios en los órganos pélvicos a largo plazo.

El dolor y la incomodidad en la región del abdomen resultantes del estreñimiento pueden ocasionar bajo deseo sexual, falta de participación durante el sexo y la insatisfacción sexual.

Por eso el estreñimiento puede dificultar la vida íntima de hombres y mujeres porque altera la disposición física y emocional para practicar alguna actividad sexual.

 

Tratamiento con la bolsa térmica Termodell

Cambios en los hábitos diarios y de defecación, mejorar la alimentación, aumentar la ingestión hídrica y practicar actividad física contribuirán mucho a la mejora del estreñimiento.

La empresa HotFlowers produce productos para la salud sexual y para el placer, con la inédita bolsa Térmica específica para la región del perineo, la bolsa TérmicaTermodell.

La bolsa Térmica Termodell ayudará mucho en la mejora de las disfunciones anorrectales de la siguiente manera:

1-   Para el estreñimiento se usa con agua caliente, de este modo relajará los músculos del perineo y facilitará la salida de las heces y va a contribuir con la disminución del dolor local;

2-   Para hemorroides se utiliza para agua fría, de este modo disminuirá el dolor y evitará el aumento de la inflamación local;

3-   Para fisuras se indica el agua caliente, si no hay un proceso inflamatorio, de lo contrario el agua fría contribuirá a la lesión local.

4-   Entre otras indicaciones.

Cómo utilizar la bolsa térmica Termodell:

El agua caliente debe tener temperatura entre 30 y 45 grados y con tiempo de uso de 15 a 20 minutos. El agua fría con temperatura inferior a 18 grados y con tiempo de 15 a 30 minutos. Su frecuencia diaria recomendada es de hasta 4 veces al día.

Para el uso, elegir una posición cómoda para aplicar la bolsa en el perineo, su posición puede ser acostada de espaldas o lateralmente. Asegúrese de que la misma está en contacto con el cuerpo y se sugiere el uso de una toalla o papel toalla entre la bolsa Termodell y el perineo, evitando incomodidades. Acompaña un manual de uso.

Tratar las causas del estreñimiento contribuirá a una mayor disposición física, participación en las prácticas sexuales y el placer. Con mejoría de la salud habrá el aumento del placer y satisfacción en la vida íntima.

¡Cuide su salud sexual y tenga una vida placentera y feliz!

 

Fabiane Dell`Antônio -  Fisioterapeuta, Consultora en Sexualidad y Sexóloga 

Haga sus preguntas a
FABIANE DELL`ANTÔNIO

Grado en Fisioterapia, una Maestría en Ciencias de la Salud Humana (UnC-SC) y las siguientes especializaciones:

Neuropsicología y Aprendizaje (PUC-PR);

Fisioterapia en Uroginecología (CBES-PR);

Sexualidad Humana (USP-SP).

Profesor de la Universidad desde 1999. Opera en la práctica en el área de Sexología desde 2002. Realiza cursos en la sexualidad humana desde 2010.

Envíe sus preguntas

COMPRE AQUI HABLE NOSOTROS