Sexualidade - Hot Flowers Produtos Sensuais Hot Flowers
side-area-logo

DICAS SOBRE SEXO

Tire todas as suas dúvidas sobre a sua sexualidade
Dicas sobre Sexo
Com o calor do verão e os dias mais longos o sexo rápido, conhecido como “a rapidinha”, torna-se mais frequente e fácil de ser realizado, devido ao vestuário e programas típicos desta época. O sexo realizado de forma rápida é quando o casal está com desejo e vontade de ter penetração com pouco tempo para estímulos, o foco é a penetração. Esta prática deve ser realizada quando ambos desejam, e muitas vezes está envolvida com fantasias eróticas, como transar na praia, na escada, no carro, no banheiro... etc. Cuidados para fazer uma “rapidinha” segura Fazer sexo em situação inusitada excita muito as pessoas, mas é preciso ter alguns cuidados para o prazer momentâneo não se tornar em problemas futuros, como: 1- Usar camisinha. A gravidez e as doenças sexualmente transmissíveis também ocorrem com o sexo rápido; 2- Cuidar com filmagens e fotos. No momento da empolgação o casal não percebe que tem alguém por perto ou que há câmeras; 3- Evitar locais que podem ocasionar machucados e perigo à saúde. No rala e rola podem apoiar-se em algo ponteagudo ou cortante; 4- Evitar locais proibidos. Transar no banheiro do avião pode ser constrangedor se forem flagrados. Como fazer uma “rapidinha” prazerosa Fazer uma “rapidinha” eventualmente é bom demais, mas torna-se um problema para a sexualidade do casal quando esta prática torna-se única, onde o casal não valoriza os momentos de intimidade e não realiza preliminares. Para as mulheres esta prática frequente não favorece o orgasmo, e com o tempo podem desenvolver diminuição do desejo e lubrificação. Já os homens podem desenvolver ejaculação precoce. Para fazer uma “rapidinha” prazerosa tem-se algumas dicas: 1- O homem deve estimular o clitóris da mulher com o dedo enquanto faz a penetração, ou beijar na boca e seios. Assim facilitará que ela tenha prazer durante a intimidade. Se ela estiver relaxada com a situação e bem excita poderá ter orgasmo; 2- O casal deve usar a criatividade e estarem ambos excitados antes do ato em si. Caso a mulher não esteja com boa excitação ela terá dificuldade em ter orgasmo. Ele terá contratempos na ereção; 3- A mulher não deve realizar esta prática se não é bom para ela. Fazer rapidinha para agradar o homem pode ser muito prejudicial para a sexualidade dela e do casal; 4- Deve escolher bem o local e ter os cuidados necessários. Dicas para o casal: use a criatividade e surpreenda seu/sua parceiro/a com uso de lingeries ou fantasias. Assim a “rapidinha” será muito mais prazerosa. Fabiane Dell` Antônio Fisioterapeuta - Palestrante - Consultora Participação de textos sobre sexualidade em Revistas, Sites e Jornais de circulação Nacional * Mestrado em Ciências da Saúde Humana – UnC / SC * Especialização em Neuropsicologia e Aprendizado – PUC / PR * Especialização em Fisioterapia em Uroginecologia – CBES / PR * Especialização em Sexualidade Humana – USP / SP
O sexo saudável e de qualidade é quando ambos os parceiros o realizam com prazer e felicidade. Para isto é necessário envolvimento e prazer físico e emocional. Qualquer atividade que realizamos e sentimos prazer ativa em nosso cérebro a área septal, responsável pelos resultados prazerosos que vivenciamos diante de algo que nos faz feliz. Quando uma pessoa faz sexo sem vontade e sem prazer por um longo período ela ocasiona para seu corpo e mente um sofrimento físico e emocional. Esta atitude não é saudável e será prejudicial para a sexualidade do casal. Na vida sexual do casal é necessário o equilíbrio entre a vontade e frequência desejada para ambas as partes, e um proporcionar um para o outro excitação e prazer durante as preliminares, assim o casal terá uma sexualidade saudável. Os benefícios do sexo saudável O sexo regular e realizado de forma saudável faz muito bem em nossas vidas. Segundo pesquisadores os benefícios são: - O corpo libera endorfina durante o orgasmo, o que causa euforia, prazer e humor. Aumenta a tolerância à dor e sensação de bem estar; - O orgasmo libera vários hormônios, como a ocitocina que reduz a ansiedade, depressão e previne o câncer de mama; - A atividade sexual com preliminares de qualidade queima muitas calorias, em média de 3 a 10 calorias por minuto; - Após o orgasmo o corpo e mente relaxam instantaneamente, favorecendo melhora na qualidade do sono; - O sexo aumenta a circulação do sangue e transporta oxigênio para o cérebro, irriga a região responsável pela memória e aprendizagem. Favorece a capacidade do sistema imunológico, melhora as dores musculares, revitaliza células, músculos e pele; - O sexo frequente estimula a produção de testosterona, este hormônio atua no desejo, desempenho sexual, protege coração e ossos; - O sexo saudável aumenta a autoestima e favorece a longevidade, criatividade, memória, rendimento intelectual, aumento das percepções corporais e felicidade. O que fazer para ter um sexo saudável O importante é não sentir desconforto ou dor durante as atividades sexuais, assim como fazer sexo sem desejo e excitação. O casal precisa sentir prazer e felicidade em ter intimidade. Sugere uso de produtos eróticos durante as preliminares para favorecer a excitação e prazer do casal. Dicas para o casal: use produtos eróticos nas preliminares, como vibradores, cremes, geis, óleos, lingeries, fantasias e outros objetos. Desenvolva sua criatividade, intimidade e felicidade sexual.
O QUE FAZER QUANDO HÁ POUCA LUBRIFICAÇÃO VAGINAL? Há muitos motivos para haver diminuição da lubrificação vaginal na hora do sexo, como fatores emocionais, alterações físicas e hormonais, e mal estimulação sexual pelo parceiro onde a mulher não está adequadamente excitada. Já falamos que a insatisfação sexual está presente para muitos homens e mulheres, onde os casais fazem sexo com pouca frequência e o que predomina é a “rapidinha” e atividades monótonas. Neste contexto há necessidade de maior estimulação na mulher, com toques e beijos pelo corpo todo, principalmente nas áreas erógenas, como pescoço, mamas, barriga, clitóris, ponto G e outras. A insatisfação para a mulher durante a atividade sexual pode ocasionar baixo desejo sexual, dificuldade de lubrificação e orgasmo, e com o tempo o distanciamento dela nas carícias e afetos com o parceiro. O que fazer A falta de lubrificação muitas vezes indica que a mulher não está excitada adequadamente, e se ela fizer sexo desta maneira por muito tempo poderá prejudicar a saúde dos músculos do assoalho pélvico, seu emocional e o relacionamento, com consequências graves para sua sexualidade e bem estar do casal. Recomenda-se urgentemente um diálogo entre o casal sobre essa situação e mudanças nas atitudes durante o sexo, como maiores estímulos durante as preliminares, autoconhecimento íntimo pela mulher e uso de lubrificante íntimo externo enquanto há pouca lubrificação e/ou enquanto sente desconforto durante a penetração. Produtos eróticos que atuam na lubrificação Alguns produtos eróticos ajudam muito na melhora da lubrificação, sendo com estímulos diretos e os que atuam a longo prazo. Hoje falaremos sobre os que atuam momentaneamente e diretamente na lubrificação, que são os lubrificantes íntimo externos. Nesta linha tem-se alguns produtos, como: 1- As bolinhas, chamadas de Hot ball, são a base de óleo de coco que introduz na vagina e após seu rompimento lubrifica a região; 2- Aqua loob e Aqua Fire, estes são lubrificantes com componentes resistentes à água; 3- Inti loob é um lubrificante a base de água; 4- Deep Easy e Just Joy são lubrificantes específicos para o sexo anal. É importante o uso de lubrificante íntimo quando a mulher apresenta pouca lubrificação vaginal e quando há possibilidade de haver desconforto ou dor na penetração. Dicas para eles: use lubrificante íntimo para massagear o clitóris e ponto G, assim você fará sua mulher sentir desejo e excitação, como consequência ela ficará lubrificada e sentirá muito prazer sexual e admiração por você. Fabiane Dell` Antônio Fisioterapeuta - Palestrante - Consultora Participação de textos sobre sexualidade em Revistas, Sites e Jornais de circulação Nacional * Mestrado em Ciências da Saúde Humana – UnC / SC * Especialização em Neuropsicologia e Aprendizado – PUC / PR * Especialização em Fisioterapia em Uroginecologia – CBES / PR * Especialização em Sexualidade Humana – USP / SP
Os brasileiros não admitem, mas a insatisfação sexual está presente para muitos homens e mulheres, onde os casais fazem sexo com pouca frequência e o que predomina é a “rapidinha” e atividades monótonas. Neste contexto há insatisfação para uma ou ambas as partes, com o tempo estas atividades sexuais podem refletir no baixo desejo sexual, dificuldade de sentir prazer e afastamento íntimo e amoroso entre o casal. Muitas mulheres apresentam dificuldade de sentir o orgasmo, mas fingem para seus parceiros. Eles, por sua vez, acreditam ou preferem acreditar que está bom o sexo e não procuram atividades diferentes para mudanças em favor da parceira. Assim, a ausência de criatividade e comunicação entre ambos promove frustrações e monotonia na vida sexual do casal. Homens e mulheres que sentem prazer no sexo são mais felizes, sentem bem estar nas atividades diárias, melhora o rendimento mental e físico, além de estimular o desejo sexual, o companheirismo e intimidade entre o casal. Diferentes práticas sexuais As atividades sexuais podem ocorrer através do sexo vaginal (penetração do pênis na vagina), sexo anal (penetração do pênis no ânus) e sexo oral (estimulação oral no pênis e clitóris). Destas práticas sexuais a que favorece o maior número de mulheres a sentir orgasmo é a estimulação no clitóris, atividade conhecida como sexo oral. Mas esta estimulação pode ocorrer também através do toque, seja pelo parceiro ou por ela mesma. Estímulos agradáveis no clitóris e pênis através de toque manual, língua, geis e vibradores são realizados por mulheres e homens para sentir prazer. Estes podem favorecer o orgasmo e desejo sexual, contribuindo para a felicidade na vida sexual do casal. A criatividade Homens e mulheres devem usar a criatividade para melhorar e manter uma vida sexual saudável, com prazer, intimidade e companheirismo. A prática de estímulos no (a) parceiro (a) e em si próprio (a) auxilia no conhecimento sexual e na maturidade, sem necessidade de fingimento e negação ao sexo. Recomenda-se variar nas posturas, locais que realizam sexo, atividades sexuais diferenciadas, e preferencialmente com a realização de preliminares. Neste período um deve estimular o outro através do tato, audição, visão e gustação. Para estimular o tato recomenda-se o uso do vibrador Bullet, onde este é um cone com fio e controle remoto, assim pode ser utilizado para estimular pênis, períneo, vagina (ponto G), clitóris e região anal. Pode ser usado individualmente ou em casal. Fabiane Dell` Antônio Fisioterapeuta - Palestrante - Consultora Participação de textos sobre sexualidade em Revistas, Sites e Jornais de circulação Nacional * Mestrado em Ciências da Saúde Humana – UnC / SC * Especialização em Neuropsicologia e Aprendizado – PUC / PR * Especialização em Fisioterapia em Uroginecologia – CBES / PR * Especialização em Sexualidade Humana – USP / SP
Quando o homem ejacula antes do que gostaria ele pode ter Ejaculação Precoce (EP). Ocorre em 20 a 30% dos homens brasileiros interferindo com o bem estar sexual ou emocional do homem ou do casal. Não existe um tempo que determina se é ou não EP, mas nestes casos ela ocorre com estímulo sexual mínimo antes, durante ou logo após a penetração, antes do que o homem o deseje, e isto ocorre frequentemente. A EP tem muitas causas físicas, sociais e emocionais. As mais estudadas são a hipersensibilidade na glande, falta de controle no reflexo ejaculatório, ansiedade excessiva, primeiras experiência sexuais inadequadas, insegurança, falta de conhecimento da sua sexualidade, enfraquecimento muscular local, entre outras. Alguns homens desenvolvem a EP devido a parceira sentir dor ou desconforto, assim ele termina logo por estar preocupado com ela. Tem tratamento? Sim, mas o tratamento necessita de mudanças no comportamento e práticas sexuais, sendo que para haver resultado é necessário alguns meses. Entre os tratamentos disponíveis estão: Com o médico Urologista ou Psiquiatra o homem pode realizar tratamento com medicamentos para diminuir a ansiedade. Realizar terapia com Psicólogo para tratar a origem emocional. Com o Fisioterapeuta irá tratar os Músculos do Assoalho Pélvico, onde atua na hipersensibilidade, no controle ejaculatório, no enfraquecimento muscular local e ensina e orienta sobre a sexualidade. Alguns produtos eróticos atuam na EP Alguns produtos eróticos são produzidos com a finalidade de retardar a ejaculação, quando esta for precoce. Entre estes estão: 1- Inibidores da dor – cremes ou líquidos que diminuem a sensibilidade local. 2- Spray Hot Long – líquido que retira a sensibilidade local para retardar a ejaculação. 3- Anel de silicone – colocado na base do pênis este comprime os vasos sanguíneos prolongando a ereção e ejaculação. Homens, é importante que durante o período de tratamento você capriche nas preliminares para satisfazer sua parceira antes da penetração. Encarar o problema e dialogar com a parceira ajudará no uso dos produtos citados acima, e durante o tratamento físico ou emocional será um apoio necessário para as mudanças previstas. Fabiane Dell` Antônio - Fisioterapeuta Palestrante - Empresa Movimento Bureau - SP Consultora da Empresa HotFlowers – SP Participação de textos sobre sexualidade em Revistas, Sites e Jornais de circulação Nacional Articulista do Site Desejo Oculto * Mestrado em Ciências da Saúde Humana – UnC / SC * Especialização em Neuropsicologia e Aprendizado – PUC / PR * Especialização em Fisioterapia em Uroginecologia – CBES / PR * Especialização em Sexualidade Humana – USP / SP
Pesquisas apontam que os brasileiros estão realizando poucas preliminares e estão insatisfeitos com sua vida sexual, onde a penetração é erroneamente o foco para muitos casais. A falta de intimidade e carícias afastam o casal sexualmente e amorosamente, e neste contexto muitas mulheres desenvolvem dificuldades em sentir prazer e manter seu desejo sexual saudável. OS CINCO MOTIVOS 1- Sair da rotina Os produtos eróticos ajudam os casais a sair da rotina de forma saudável e prazerosa. Com géis, fantasias e objetos que irão estimular a criatividade e a excitação para ambos, facilitando o orgasmo. 2- Variar os estímulos prazerosos que um pode proporcionar ao outro Há vários produtos que produzem sensações prazerosas quando usado no corpo. Eles estimulam a percepção corporal, a excitação e lubrificação, sendo que estas são muito importantes para a mulher sentir prazer durante a atividade sexual. 3- Aumenta o tempo das preliminares Os produtos eróticos são utilizados durante as preliminares para estimular o casal em diferentes práticas sexuais, como sexo oral, vaginal e anal. Quando o casal realiza as preliminares facilita o desejo, excitação e orgasmo para ambos. 4- Favorecer o conhecimento e a intimidade Ao usar os produtos eróticos homens e mulheres aprendem sobre o corpo do outro e suas áreas erógenas. Isso favorece maior intimidade, aproximidade e satisfação física e emocional para os dois. 5- Melhora o prazer e desejo sexual de homens e mulheres Alguns produtos ativam a circulação local e promovem diferentes sensações corporais, como alteração na temperatura, vibrações e lubrificação. Estes estímulos favorecem o desejo, a excitação e orgasmo. Para o casal ter uma vida sexual saudável ambos necessitam estar bem com sua sexualidade. A adequada estimulação e excitação são fundamentais para manter uma vida sexual feliz! Fabiane Dell` Antônio - Fisioterapeuta Palestrante - Empresa Movimento Bureau - SP Consultora da Empresa HotFlowers – SP Participação de textos sobre sexualidade em Revistas, Sites e Jornais de circulação Nacional Articulista do Site Desejo Oculto * Mestrado em Ciências da Saúde Humana – UnC / SC * Especialização em Neuropsicologia e Aprendizado – PUC / PR * Especialização em Fisioterapia em Uroginecologia – CBES / PR * Especialização em Sexualidade Humana – USP / SP
Tire suas Dúvidas com a
FABIANE DELL`ANTÔNIO

Graduada em Fisioterapia, com Mestrado em Ciências da Saúde Humana (UnC-SC) e nas seguintes Especializações:

Neuropsicologia e Aprendizado (PUC-PR);

Fisioterapia em Uroginecologia (CBES-PR);

Sexualidade Humana (USP-SP).

Professora Universitária desde 1999. Atua em consultório na área de Sexologia desde 2002. Realiza Cursos e Palestras em Sexualidade Humana desde 2010.

ENVIAR DÚVIDA

COMPRE AQUI FALE CONOSCO