Hot Flowers
side-area-logo

DICAS SOBRE SEXO

Tire todas as suas dúvidas sobre a sua sexualidade
Dicas sobre Sexo
O Massageador Peridell foi desenvolvido durante a prática clínica ao atender homens e mulheres com queixas na saúde e sexualidade advindas de alterações nas estruturas musculares da região do períneo. Outro motivo de sua criação foi devido da necessidade das pessoas terem algum equipamento em casa para auxiliá-las no tratamento com a Fisioterapia. Este massageador possui 01 Manual ilustrativo com imagens e explicações sobre suas indicações e modo de uso para tratar disfunções sexuais e problemas de saúde decorrentes do enfraquecimento dos músculos do assoalho pélvico e alterações corporais locais. Acompanha 4 ponteiras intercambiáveis para serem utilizadas de acordo com a área corporal e seus objetivos. O Peridell pode ser usado em domicílio e locais que atuam profissionais da saúde como Fisioterapeutas, Enfermeiros, Médicos e Psicólogos, assim como profissionais que atuam em sexualidade. Este promove os seguintes efeitos fisiológicos no local de sua aplicação: aumento da circulação, melhora da dor, promove relaxamento de músculos, circulação e nervos. Melhora o tônus e trofismo muscular, sensibilidade e percepção local, atua na recuperação das estruturas locais e aumento da força muscular, favorece autoconhecimento e intimidade entre o casal Alterações musculares locais indicam que os mesmos estão enfraquecidos, neste caso haverá como consequência alterações da circulação e inervação, com comprometimento na sexualidade de homens e mulheres. Algumas indicações de uso • Incontinência urinária, fecal e gases; • Dificuldade para urinar e defecar; • Queda de órgãos pélvicos (distopias); • Sintomas da Menopausa (atrofia tecidual e muscular); • Dor durante ou após a atividade sexual na vagina, pênis e ânus (dispareunia); • Fissuras anais e vaginais; • Tensão (hiperatividade) e Flacidez (hipoatividade) vaginal, anal e peniana; • Diminuição ou ausência de orgasmo, desejo sexual e lubrificação; • Vaginismo e Vulvodínia (dor, ardência e impossibilidade ou dificuldade de penetração vaginal); • Disfunção de ereção e ejaculação, entre outros. O Peridell atua nos músculos íntimos de homens e mulheres, previne disfunções sexuais e mantém a saúde e satisfação sexual.
O termo dispareunia é usado para relatar que a mulher sente desconforto ou dor na penetração vaginal, durante ou após. A dor é mais frequente no início da vida sexual e se deve, na maioria das vezes, a falta de tranquilidade e de relaxamento para o ato, problemas emocionais e de relacionamento. Sexo com dor é muito ruim porque deste modo a mulher terá dificuldade em sentir prazer. Sexo que não é gostoso e prazeroso pode com o tempo diminuir o desejo e dificultar penetrações vaginais futuras. Fatores que ocasionam a dor vaginal A dor na relação sexual é classificada de modo superficial ou profunda, de acordo com a região da vagina em que é sentida pela mulher. A superficial ocorre quando o desconforto ou dor são sentidos na entrada da vagina e região vulvar, sendo que pode ocorrer devido algumas doenças, situações que causam irritação local, episiotomia (corte que é realizado no parto vaginal para facilitar a saída do bebê), radioterapia local, traumas sexuais, tensão dos músculos vaginais e outros. Já a profunda ocorre quando o desconforto ou dor são sentidos na penetração superior da vagina, e pode ser ocasionada por doença inflamatória pélvica, fibromialgia, cirurgia abdominal, endometriose, infecções locais, outros. Além dos fatores acima o desconforto ou dor podem surgir pela dificuldade ou ausência de relaxamento dos músculos vaginais (Músculos do Assoalho Pélvico), nível baixo de tolerância à dor, aderências e fibroses cicatriciais, incompatibilidade do tamanho do pênis e vagina (exemplo tem-se a vagina muito apertada com pênis muito grosso), falta de excitação e lubrificação vaginal, e outros. Algumas vezes a mulher sente dor na penetração vaginal devido ao inadequado estímulo sexual que recebe do seu parceiro, da ausência do envolvimento emocional e físico, e problemas no relacionamento. Quando a mulher sente dor na penetração não ocorre adequada excitação, lubrificação e extensão da vagina para o acoplamento do pênis, como consequência haverá pressão nas paredes vaginais com desconforto ou dor, e em alguns casos pode ocorrer lesões teciduais que podem desenvolver fissuras, candidíase de repetição, entre outras complicações emocionais e físicas. Atitudes para melhorar a dor vaginal na penetração Para melhorar e curar a dor na penetração e conseguir sentir prazer é importante algumas atitudes como descritas abaixo. Primeiramente a mulher deve identificar se há algum problema de saúde que está ocasionando a dor na penetração, para isso deve procurar o médico ginecologista. Observar como está o relacionamento sexual, realização de preliminares frequentemente com estímulos prazerosos para estar excitada e lubrificada antes da penetração. Se isto não ocorre recomendo conversar com o parceiro para que juntos realizem mudanças nos hábitos sexuais para evitar a penetração com dor. Evitar fazer sexo quando está cansada, sem vontade e com algum problema de saúde e/ou emocional. Durante as práticas sexuais é importante que a mulher se envolva emocionalmente no ato, evitar pensar em atividades diárias enquanto faz sexo. Também é possível que a mulher esteja com alteração do tônus dos músculos vaginais, chamado de hiperatividade. Isso promove uma contração nos músculos da entrada da vagina com encurtamento deles, com sensação de vagina apertada. O tratamento muscular se faz necessário porque estes estão com alteração na estrutura, desenvolvem tensão local sem que a mulher tenha conhecimento. Quanto maior o tempo que ela sente dor na penetração, maior será o agravamento da tensão e o registro negativo em seu inconsciente em relação ao sexo, como consequência haverá aumento da dor local. Alguns produtos sensuais contribuem para a melhora da dor vaginal Alguns produtos contribuem para a melhora da dor, a mulher pode usá-los sozinha ou com seu parceiro (a): 1- Intense Loob – lubrificante de silicone que auxilia no deslizamento do pênis no canal vaginal; 2- Peridell – massageador terapêutico para a região do períneo e vagina. Possui diferentes ponteiras que irão estimular os músculos, nervos e circulação com grande melhora no relaxamento local e diminuição da dor na penetração. Indicado para tratar a saúde muscular e problemas sexuais locais, autoconhecimento, intimidade, prazer e orgasmo. A capa Facidell facilita a penetração do Peridell em vaginas com dificuldade de penetração. 3- G point – capa de dedo estimulante com saliências para massagem na vagina para o alívio da dor. Pode ser usada com o Peridell. A dor na relação sexual pode causar com o tempo sintomas de ansiedade, angústia e dificuldades interpessoais. Na sexualidade promove diminuição do desejo sexual, de intimidades e carícias, diminuição da frequência sexual, excitação, lubrificação e orgasmo. Recomenda-se avaliação com o Fisioterapeuta com especialização na área pélvica para avaliar e identificar como estão os músculos vaginais.
Os músculos íntimos das mulheres chamam-se Músculos do Assoalho Pélvico (MAP), localizam-se na região do períneo. Estes estão posicionados como uma cama elástica sobre a qual estão em repouso os órgãos pélvicos, como útero, bexiga, ovários. Os músculos nesta região estão localizados em média de 2-3 cm para dentro do canal vaginal e este pode variar entre 8-10 cm de comprimento. Muitas mulheres não conseguem contrair adequadamente os músculos vaginais e apresentam alterações nas estruturas locais com comprometimento na força, sensibilidade, propriocepção, circulação e coordenação. Em consequência destas alterações haverá mudanças na vida sexual e ginecológica da mulher com sintomas de vagina tensa (apertada) ou flácida (frouxa). Nestes casos haverá comprometimento na saúde sexual, com consequências no desejo, lubrificação, prazer e orgasmo. Para melhorar a vida sexual a mulher precisa melhorar a saúde dos músculos íntimos, os MAP. As bolinhas de Ben Wa possuem vários tamanhos e estão em kits com duas ou três bolinhas, ligadas a um fio de silicone que mantém elas unidas e serve para que a mulher puxa-as para retirá-las do canal vaginal. Estas conhecidas por bolinhas Tailandesas e Pompoarismo, sua principal função é melhorar a percepção da vagina. Função das bolinhas na saúde sexual As bolinhas podem contribuir na saúde sexual porque proporcionam aumento da percepção e propriocepção (capacidade da mulher em perceber parte do seu corpo), neste casa os músculos da região da vagina. A vibração causada pelas bolinhas de chumbo que existem dentro das bolinhas plásticas do Ben Wa irá ativar os músculos locais. Isto porque cada movimento das bolinhas fará uma mini contração, insuficiente para estressar a musculatura, mas suficiente para deixá-la mais acordada, com melhor percepção da vagina para a mulher. Quando há enfraquecimento dos músculos íntimos é comum a mulher perder a percepção local, com sua região “adormecida”. As bolinhas contribuem na melhora da sensibilidade local e na coordenação dos músculos. Como consequência facilitam que a mulher aprenda a contrair de modo adequado seus músculos íntimos para fortalecê-los. Por isso elas são muito indicadas para mulheres que apresentam sintomas de estar com os músculos vaginais flácidos, a sensação de vagina frouxa. Elas irão contribuir na saúde ginecológica (previne queda de órgãos pélvicos), contribui na incontinência urinária e melhora a função sexual. Como usar as Bolinhas Os estímulos realizados pelas bolinhas irão ativar os músculos locais, deste modo irão contribuir para que a mulher perceba melhor sua vagina no sexo e aprenda mais facilmente a contrair seus músculos. Seu uso frequente irá proporcionar à mulher maior sensação do pênis na vagina durante o sexo, facilitará o prazer e a percepção local. Para melhorar a percepção e sensibilidade na vagina a mulher pode usar da seguinte maneira em casa: 1- A mulher deve introduzi-las no canal vaginal de modo que todas as bolinhas fiquem dentro, sem incômodo. Deve vestir sua roupa e realizar suas atividades diárias com elas dentro do canal vaginal. 2- Nos primeiros quinze dias de uso recomenda-se usar as bolinhas até 2 vezes na semana, com dias alternados. O tempo mínimo de uso são 15 minutos e evoluir gradualmente até 30 minutos. 3- A partir da terceira semana pode usar até 3 vezes na semana, o tempo pode evoluir até 1 hora no máximo. 4- Se houver dor ou desconforto após o uso das bolinhas recomenda-se abaixar o tempo no próximo dia de uso até parar os sintomas. 5- Caso a dor ou desconforto permaneçam após 24 horas suspenda o uso e recomenda-se procurar um Fisioterapeuta ou médico Ginecologista. Deve-se evitar atividades de impacto (corrida, saltos) e de peso (musculação, carregamento de objetos pesados, etc). Há kits de duas ou três bolinhas e com tamanhos diferentes, a escolha será da mulher de acordo com sua sensação de tamanho da vagina. Caso a vagina é menor e estreita recomenda-se bolinhas menores e kit com duas. Recomendações de uso Não é recomendado permanecer com tempo superior ao descrito acima, com exceção se a mulher estiver realizando tratamento com um profissional fisioterapeuta e este está lhe acompanhando. Não é recomendado usar em mulheres que apresentam algum órgão baixo (prolapso), como exemplo a bexiga. Recomenda-se uma avaliação com Fisioterapeuta com especialização na área Pélvica para elaboração de um plano de tratamento para ganho de força muscular e aprender a contrair os músculos vaginais, exercícios conhecidos como contrações de Kegel e Pompoarismo. As bolinhas são um produto que a Empresa Hot Flowers oferece em sua linha A SAÚDE DO SEU PRAZER, estas contribuem para a saúde e prazer da mulher e satisfação sexual para o casal. Outros produtos da linha são: Peridell e Facidell, Cones vaginais, Lubrificante íntimo Intense Loob, Bomba Peniana e Clitoriana, G point.
A disfunção erétil (DE) refere-se a incapacidade de obter e/ou manter uma ereção adequada até a conclusão da atividade sexual. Para Abdo (2016) esta disfunção atinge 45,1% dos homens brasileiros em algum grau, sendo que a incapacidade total é de 1,7%; incapacidade moderada de 12,2%; incapacidade mínima, que raramente ocorre é de 31,2%. O nível de educação dos homens que apresentam DE tende a ser inferior em comparação com o homem que não apresenta esta queixa. Isso demonstra a importância da educação para a prevenção das disfunções sexuais, dos cuidados com a saúde física e emocional, hábitos de vida saudáveis e informações corretas sobre sexo e sexualidade. Problemas na ereção esporádicos são naturais e podem resultar de cansaço, preocupações, estresse, falta de interesse em sexo no momento, não caracterizando disfunção sexual. Características e fatores que causam a DE A maioria dos casos de impotência surge após um período de funciona¬mento sexual “normal” (tipo adquirido). A ausência completa de qualquer resposta erétil é rara, sendo comum a presença de uma ereção parcial não suficiente para a penetração vaginal, ou a existência de ereção completa que habitualmente é perdida quando da aproximação da pene¬tração vaginal. Em alguns casos a ereção pode ser suficiente para a penetração, mas diminui em seguida, não permitindo a continuação da penetração. Os fatores que causam a dificuldade de ereção, são: 1- Maus hábitos de vida (sedentarismo, obesidade, estresse, tabagismo, alcoolismo e drogas ilícitas); 2- Cirurgias e traumas (com lesões nos músculos, circulação e nervos); 3- Conflitos no relacionamento (afastamento íntimo entre o casal, problemas sexuais da parceira); 4- Baixa autoestima, insegurança, depressão, questões culturais; 5- Doenças de origem neurológica, vascular (diabetes), hormonal (diminuição de testosterona), respiratória e hepática; 6- Efeitos adversos de medicamentos (anti-hipertensivos, diuréticos, antidepressivos, ansiolíticos); 7- Condições físicas que cause dor ou desconforto; 8- Envelhecimento (com enfraquecimento muscular, alterações na circulação e nervos). Fatores emocionais e físicos comprometem a força dos músculos do assoalho pélvico, região do períneo, e como consequência haverá alterações na ereção e ejaculação. Nestes casos é indicado tratamento com o fisioterapeuta especializado em Fisioterapia Pélvica. Quando o homem apresenta com frequência dificuldade de ereção poderá desenvolver ansiedade, em consequência desta ocorre ejaculação precoce. Pode apresentar com o tempo depressão, dificuldades no relacionamento, insegurança, baixa autoestima e insatisfação com a autoimagem. Nestes casos é indicado terapia com psicólogo, assim esta fase será passageira e previne problemas futuros no relacionamento. ATUAÇÃO DO PERIDELL NA DE O Massageador Terapêutico Peridell foi desenvolvido diante da necessidade de trabalhar disfunções musculares da região perineal no consultório para homens e mulheres. No homem ele é indicado para dor na penetração ou após, alterações de desejo e lubrificação, alterações na ejaculação e ereção, dificuldade ou ausência de orgasmo. Sendo que deve ser usado nos músculos íntimos, chamados assoalho pélvico, localizados na região do períneo. Ele atua na ereção porque a vibração possui efeitos fisiológicos que contribuem para a melhora dos músculos, circulação e nervos locais. Possui 4 ponteiras que são indicadas de acordo com a região do corpo a ser tratada e acompanha 1 manual de uso. Modo de uso do Peridell para DE 1- utilizar a ponteira plana na região do períneo, principalmente entre o escroto e ânus com 5 minutos inicialmente cada região (inervação). Após movimentar o Peridell por todo o pênis, da base à cabeça em movimentos deslizantes por 5 minutos inicialmente. O tempo em cada região deve aumentar progressivamente até chegar a 15 minutos. 2- Após uns 4 dias de uso como descrito acima o homem deve substituir a ponteira plana para a pontiaguda maior e repetir os movimentos realizados. Agora iniciar com tempo de 5 minutos e progredir até 15 minutos para cada região do períneo e pênis. Deve ser utilizado em dias alternados com o tempo máximo indicado acima, por um período de no mínimo de 3 meses. Para intensificar os resultados recomendamos avaliação com Fisioterapeuta especializado na Fisioterapia Pélvica e acompanhamento com Psicólogo.
Pós-parto ou puerpério é o período que vai desde a expulsão da placenta até 6 a 8 semanas após o parto, com retorno do corpo ao seu estado normal. Neste período há diminuição dos hormônios estrogênios e progesterona que causam diminuição do desejo sexual e lubrificação vaginal. Durante o parto vaginal pode ocorrer lesões nos músculos do assoalho pélvico e vagina, com tempo médio de 3 a 6 semanas para a cicatrização local. Estes são responsáveis pela função que permite o intercurso sexual e o parto, por isso é recomendado que o casal aguarde 40 dias após o parto para retornarem a vida sexual. Fatores que contribuem para o desinteresse sexual das mulheres após o nascimento do filho Vários fatores contribuem para que ocorre diminuição do interesse sexual da mulher após o nascimento de um filho, entre eles tem-se: 1- Cansaço do parto e momento atual; 2- Restabelecimento da musculatura vaginal (músculos do assoalho pélvico); 3- Baixos níveis hormonais, com diminuição da lubrificação e desconforto ou dor na penetração; 4- Medo da dor durante a relação sexual; 5- Medo de engravidar; 6- Insatisfação com o corpo; 7- Desconforto com os seios e receio com estes devido a amamentação; 8- Vergonha de fazer sexo no mesmo quarto em que está o filho; 9- Outros. O parceiro precisa compreender que neste período a mulher apresenta desinteresse sexual devido aos fatores físicos, culturais e emocionais, além de estarem muito envolvidas no papel de mãe. Assim o seu retorno às práticas sexuais deve ocorrer sem cobranças e com muito estímulo prazeroso nas preliminares. Como melhorar a dor ou desconforto no retorno da vida sexual Para o retorno das práticas sexuais o casal deve ter algumas atitudes que irão beneficiar a sexualidade da mulher e prevenir problemas sexuais futuros e duradouros, como diminuição do desejo, lubrificação, dor na penetração e vaginismo. 1- O casal deve conversar e resolver juntos o momento de retornar às práticas sexuais, terem atitudes para evitar os medos e problemas possíveis citados anteriormente. Assim a mulher fará sexo envolvida emocionalmente, sem preocupações com ela e com o filho. Fator este que contribuirá muito para seu prazer e satisfação. 2-Para contribuir na diminuição da lubrificação vaginal e evitar desconforto e dor na penetração recomenda-se que o casal use lubrificante íntimo a base de água na fase inicial, como o Inti Loob (HotFlowers). 3- O casal precisa realizar práticas sexuais com preliminares, assim favorecerá a lubrificação e excitação da mulher. 4-Evitar ter relações sexuais tarde da noite, pois a mulher passou o dia cuidando do bebê e estará muito cansada neste momento, com dificuldade de ter adequada excitação e lubrificação. 5- Após a liberação do médico obstetra ou fisioterapeuta, a mulher deve iniciar o uso do Massageador Terapêutico Peridell (HotFlowers) na região do períneo e vagina para melhorar a saúde muscular local, ele contribui ao retorno da vida sexual com prazer, satisfação e saúde sexual. A mulher precisa realizar práticas sexuais excitada, assim estará lubrificada e sua vagina se adaptará para receber o pênis sem lesões locais e desconforto. Quanto mais ela faz sexo com satisfação e prazer, maior será o seu desejo sexual. O casal deve conversar sobre sua vida sexual em todos os momentos, principalmente após o parto. Neste período haverá necessidades de ajustes na identidade materna, no seu papel de mãe e esposa, e adaptações na vida do casal com o nascimento do filho.
A sexualidade é o modo com a pessoa se expressa no seu dia a dia, sua autoestima, como lida com seus relacionamentos interpessoais e íntimos. Esta promove interferências na vida sexual, emocional e física. A sexualidade masculina sofre alterações em decorrência de vários fatores, entre eles tem-se o desemprego, perda de familiares e amigos, problemas sexuais com a parceira, problemas no relacionamento, doenças físicas e emocionais. Nestes períodos é comum haver alterações na ereção e ejaculação, e estas disfunções podem ser passageiras ou definitivas. O que contribui muito para o tempo da disfunção é o estado emocional do homem, sua aceitação e atitudes para com o problema, assim como o comportamento da parceira e diálogo entre o casal. Alterações emocionais e dificuldade em lidar com o problema, que muitas vezes é passageiro, pode ocasionar disfunções sexuais por toda a vida, sendo a mais comum a disfunção de ereção. Esta é diagnosticada quando há dificuldade em ter a ereção, e ou quando não consegue mantê-la até a conclusão da atividade sexual. Atitudes entre o casal que prejudicam a sexualidade Algumas atitudes e comportamentos sexuais inadequados que ocorrem entre o casal prejudicam a sexualidade do homem, em decorrência de problemas com ele ou com sua parceira. O homem precisa compreender que se sua parceira não está satisfeita sexualmente irá prejudicar a sexualidade dele e do casal. Ou seja, quando um dos conjugues está com disfunção sexual o casal também está. Abaixo algumas atitudes e comportamentos que prejudicam muito a sexualidade do casal: • Sexo frequente sem preliminares, só penetração; • Brigas constantes e ofensas verbais entre o casal; • Ausência de diálogo entre o casal; • Desconhecimento do próprio corpo e da parceira (o); • Fazer sexo para agradar o outro; • Fazer sexo com pouca excitação pelo homem (ereção) e mulher (lubrificação); • Fazer sexo quando a parceira sente desconforto, dor, sangramento, ardência, etc. Hábitos que prejudicam a sexualidade Alguns hábitos e comportamentos prejudicam a sexualidade e interferem no prazer e saúde sexual, como: • Sedentarismo; • Obesidade; • Estresse; • Ansiedade; • Uso de drogas (fumo, álcool, drogas ilícitas); • Doenças (depressão, diabetes, hipertensão, Parkinson, outras); • Baixo índice de testosterona; • Fraqueza nos músculos íntimos, chamados de músculos do assoalho pélvico (região do períneo). Alguns produtos eróticos que auxiliam na sexualidade masculina Alguns produtos eróticos contribuem para melhorar a saúde sexual, prazer e sexualidade do homem, são eles: 1- Óleo para massagem – com óleo de coco, promove leve aquecimento com aumento da circulação local e facilita a ereção. Fazer massagem sobre o pênis e períneo; 2- Hot Shock viber spray – vibrador líquido que aumenta a circulação e percepção local, atua na sensibilidade e ereção; 3- Hot Long: spray que diminui a sensibilidade local, retarda a ejaculação e prolonga o tempo de ereção; 4- Hot & Hard: gel que promove aumento da circulação do pênis, facilita a ereção; 5- Expand: provoca inchaço no pênis, facilita a ereção; 6- Bomba Peniana: promove aumento da circulação e inchaço local, com facilitação da ereção; 7- Massageador Terapêutico Peridell – melhora a ereção e ejaculação, além de auxiliar no fortalecimento dos músculos íntimos e promover a saúde sexual. Todas as pessoas passam por períodos e situações na vida que interferem na sexualidade, mas o importante é compreender estas dificuldades e buscar ajuda quando necessário.
Tire suas Dúvidas com a
FABIANE DELL`ANTÔNIO

Graduada em Fisioterapia, com Mestrado em Ciências da Saúde Humana (UnC-SC) e nas seguintes Especializações:

Neuropsicologia e Aprendizado (PUC-PR);

Fisioterapia em Uroginecologia (CBES-PR);

Sexualidade Humana (USP-SP).

Professora Universitária desde 1999. Atua em consultório na área de Sexologia desde 2002. Realiza Cursos e Palestras em Sexualidade Humana desde 2010.

ENVIAR DÚVIDA

COMPRE AQUI FALE CONOSCO